segunda-feira, 30 de maio de 2011

Certificação de nível Secundário, dia 29 de Abril na ESCM




Aos vinte e nove dias de Abril do presente ano, teve lugar no Auditório da Escola Secundária Campos Melo, mais uma sessão de júri de certificação, de Nível Secundário.
Esta sessão contou com a participação da Coordenadora do Centro de Novas Oportunidades, Dr.ª Rosa Macedo, o Avaliador Externo, Eng.º Américo Mendes, os Profissionais, Dr.ª Vera Pereira, Dr. Sérgio Mendes e Dr.ª Olga Filipe e os Formadores, nomeadamente, Dr.ª Adélia Rocha, Dr.ª Anabela Campos Costa, Dr.ª Maria da Luz Belizário, Dr.ª Eugénia Conceição, Dr.ª Filipa Milhano e Dr.ª Fernanda Paiva.

         O primeiro candidato Júlio da Silva Rosendo, oriundo do Canhoso, focou a sua apresentação a júri em vários aspectos da sua riquíssima existência -“uma vida tecida de memórias”. Descreveu o seu percurso escolar e sublinhou as distintas experiências e responsabilidades profissionais ligadas inicialmente ao sector têxtil e, posteriormente, à Policia de Segurança Pública e à Vigilância. Descreveu a importância da vasta formação profissional que veio a frequentar. Apresentou um tema que desenvolveu no seu P.R.A. sobre “A(s) Hepatite(s)”, tema que explicitou de forma cuidada e irrepreensível. Expôs a importância das actividades de lazer, nomeadamente o Futsal, e sublinhou, por último, para os seus planos de futuro a formação para se enriquecer pessoalmente. Fez questão de destacar o incentivo que recebeu da equipa do CNO da ESCM ao longo do processo, para a sua conclusão. 
 
A segunda candidata Inês Neves Rosendo Pereira, oriunda da itinerância de Canhoso apresentou a júri a sua vivência escolar (frequência do 11.º ano de escolaridade) evidenciando inicialmente as suas competências em língua inglesa. Em termos profissionais apresentou uma experiência em distintas funções ao serviço da Câmara Municipal da Covilhã e explicou as suas actuais funções como Apontadora na Secção Taxa e Licenças da Covilhã. Reflectiu sobre um tema polémico da sociedade moderna, a “Eutanásia“, que soube expor com sentido crítico. Manifestou interesse em prosseguir na via de aprendizagem, especialmente ligada à sua esfera da actuação profissional, progredir na carreira profissional e, como mãe, continuar acompanhar o desenvolvimento do núcleo familiar e, deste modo, realizar-se pessoal e socialmente.

A terceira candidata, Natália Maria Carvalho dos Santos, oriunda da itinerância de Belmonte. Apresentou-se evidenciando as suas competências em língua inglesa. Relembrou as aprendizagens da sua vida, em várias dimensões, entre as quais, as aprendizagens formais em Trancoso e as aprendizagens profissionais nos sectores dos serviços e posteriormente das cablagens industriais (Delphi da Guarda). Sublinhou a sua paixão pelas viagens e, mais concretamente, as vivências pessoais e profissionais que durante meio ano experienciou na Roménia. Não deixou de expressar a premente vontade de prosseguir com a formação profissional, de modo a enriquecer o seu currículo, devido à actual de situação de desemprego que vivencia. 
 
       A quarta candidata, Maria de Fátima Mingote Cardoso Santos, oriunda da Covilhã, relembrou a sua infância e percurso escolar. Explicitou a motivação para o prosseguimento e conclusão do nível secundário, com base na experiência positiva do processo RVCC neste CNO do nível básico. Referiu a importância que sempre deu à formação e os cursos que fez para se enriquecer, pessoal e profissionalmente. Do mundo do trabalho expressou as memórias vividas no Sector Têxtil como Empresária por conta própria e a gratificante função de Ajudante de Acção Educativa que desempenha há longos anos no Patronato de Nossa Senhora da Conceição (“Colégio das Freiras”). Referenciou no âmbito dos temas inclusos do portefólio reflexivo de aprendizagens, a questão da reciclagem de materiais efectuada com as crianças do Infantário e, exemplarmente demonstrada. Sublinhou o enriquecimento pessoal que vivenciou no processo RVCC e terminou com a frase de Gandhi: “A única revolução possível é dentro de nós”, que expressa o seu sentir.

A quinta candidata, Dulce Ferreira da Rocha Naves Batista, oriunda da Covilhã iniciou a sua apresentação salientando a experiência extremamente positiva no processo RVCC de 9.º ano neste CNO como impulsionadora para a continuação do nível secundário de certificação. Sublinhou a importância da formação profissional para o correcto desempenho profissional da actividade que tem vindo a desenvolver no comércio. Fez questão de desenvolver como tema ao ligação entre o mundo e a leitura, uma relação profunda e necessária de desenvolvimento de múltiplos saberes, que se entrecruzam no portefólio reflexivo de aprendizagens (ambiente, ciência, saúde, tecnologia, multimédia, cidadania, direitos, polémicas, entre outros). Expressou, por último, a sua vontade de continuar a formar-se ao longo da vida. 
 
          O sexto candidato, Manuel Joaquim Rodrigues Baptista, oriundo da Covilhã apresentou e reflectiu sobre o seu percurso de vida. O seu trajecto no mundo do trabalho incluiu experiências como Operador Fabril (Artefactos de Cimento), Operário da Construção Civil, Operador de Armazém (matérias-primas na Indústria de Lanifícios) e a actual actividade de Motorista de Pesados na Empresa A. Fernandes & Fernandes SA. Destacou as formações profissionais que têm vindo a complementar a sua actuação e, nesse sentido, explanou detalhadamente a evolução tecnológica dos tacógrafos. Expressou em termos de lazer o seu gosto pela riqueza cultural do nosso país e tendo como projecto futuro viajar para as ilhas da Madeira e Açores e manifestou, ainda, a necessidade que sente de aprofundar as aprendizagens iniciais com formação adequada ao exercício da sua actividade profissional, como seja a formação em CAM (Capacidade Aptidão para Motoristas).

A sétima candidata, Maria João Fonseca Lopes Saraiva oriunda da itinerância de Belmonte relembrou as aprendizagens da sua vida, em várias dimensões, entre as quais, as aprendizagens formais, a conclusão do nível básico pelo CNO da ESCM em Belmonte. Relembrou as aprendizagens profissionais no sector têxtil e, enfatizou a actividade que desenvolve há dez anos como Auxiliar de Educação no Infantário “Amiguinho”em Belmonte, destacando a formação em “Primeiros Socorros”, entre outras. Não deixou de expressar a vontade de prosseguir com a formação e aprendizagens ao longo da vida.

          O oitavo candidato, Nuno Miguel Fernandes Cruz, oriundo do Canhoso, focou a apresentação a júri em vários aspectos da sua existência. A anterior experiência do processo de nível básico concluído no CNO da ESCM foi uma delas. Sublinhou as distintas práticas e responsabilidades profissionais ligadas à actividade comercial, à agricultura e ao sector têxtil, nomeadamente na que desempenha há mais de uma década como técnico de cardação na Fitcom. Neste sentido, explicou detalhadamente porque, na sua opinião, a Fitcom é um caso de sucesso na sua esfera de actuação no mercado (a actividade da empresa, materiais, máquinas industriais, processos: - tecnologia de ponta; design; inovação; exportação; e, finalmente, a filosofia da empresa). Nos seus planos de futuro afirmou que pretende continuar a formar-se para enriquecer o seu currículo e dinamizar a sua carreira. Salientou, por fim, as prioridades dadas à sua profissão e os condicionalismos que estas implicaram para o processo RVCC e destacou o impulso que recebeu da equipa do CNO da ESCM para a conclusão do mesmo. 


No final da sessão de júri, depois de responderem adequadamente às questões colocadas, todos os candidatos viram certificado o nível a que se propuseram.


Parabéns a todos!

 

Sem comentários: